terça-feira, 6 de dezembro de 2016

XXX FEIRA DE ROCHAS , FÓSSEIS E MINERAIS

Mais uma vez os alunos do Grupo de Paleontologia deslocam-se ao Museu de História Natural de Lisboa para visitarem esta feira.

quinta-feira, 12 de maio de 2016

A primeira pegada de dinossáurio de Portugal em 3D

Uma das pegadas tridactilas de grandes dimensões descobertas em 2015 na jazida de Pedreira/Amoreira por alunos do nosso Grupo. Com a ajuda de um antigo aluno, hoje engenheiro, conseguimos obter imagens a 3 dimensões, facto inédito em Portugal.


https://youtu.be/FU2zHZfkKwA


Video of a 3 dimensional theropod track from middle jurassic of Pedreira /Amoreira tracksite.
This track is from a trackay of a big carnivour  dinosaur walking fast -  around 18,5 km/h.
First 3 dimensional track from Portugal.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Grupo de paleontologia recebeu o prémio do melhor trabalho apresentado no XI Congresso dos Jovens Geocientistas, ex-aequo...

O projeto apresentado pelos alunos Tomás Alvim e Sofia Cruz (11º anos, das Escolas Secundária Luís Freitas Branco e Sebastião e Silva), representando o Grupo de Paleontologia - Uma nova jazida do Jurássico Médio dominada por dinossáurios predadores -  no XI Congresso dos Jovens Geocientistas recebeu o prémio do melhor trabalhoapresentado, ex-aequo com um projeto  defendido por alunos do Instituto Educativo do Juncal.

Este Congresso decorreu no dia 8 de Abril e foi organizado pelo Departamento de Ciências da Terra da Universidade de Coimbra. É já a 3ª vez que alunos do Grupo de Paleontologia apresentam os seus trabalhos neste Congresso, sempre com uma grande participação de alunos do Ensino Secundário já vocacionados para o ramo científico. As apresentações decorreram de manhã e de tarde, entre os 15 projetos seleccionados pela organização.

Para alcançarem este resultado, os alunos referidos, bem como o Rafael Canas, do 9º ano e muitos outros colegas e ex-colegas do Grupo de Paleontologia, enviaram um resumo e um poster para o Congresso, revisto cientificamente pela respetiva Comissão e apresentaram o trabalho sob a forma de PowerPoint.
 

Antes, tinham-se deslocado numa saída de campo realizada em março à jazida de Pedreira / Amoreira (freguesia do Bairro, concelho de Fátima), onde para além da finalização de algumas medições, filmagem de pistas por drone, comparação do tipo de preservação de algumas pegadas, passagem para acetato de pistas e localização de pegadas em GPS, realização de fotogrametria de alguns exemplares (fotografia a 3 dimensões de pegadas), acabaram por descobrir novas pegadas. 

XI CJG - programa geral  
http://www.aepa.pt/output_efile.aspx?id_file=5866

Apresentação do trabalho .pdf  



quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Saída de campo às icnojazidas do Cabo Espichel

No final de julho o Grupo de Paleontologia dinamizou uma visita /saida de campo a várias jazidas com  pegadas de dinossáurios na região do Cabo Espichel (concelho de Sesimbra). Participaram mais de 50 professores e outros funcionários do Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos. A saída decorreu bem e incluiu um almoço em Alfarim.
Para apoiar esta saída fizémos dois posters referentes ao tema.


quarta-feira, 13 de maio de 2015

Alunos do GP voltam a ganhar prémio no Congresso Cientistas em Ação

Nos finais de 1997 caçadores locais descobriram 3 pegadas tridáctilas a cerca de 3 km da famosa jazida do Galinha, em terrenos particulares, entre as aldeias de Amoreira e Pedreira.

No início de 1998 os nossos colegas do Grupo de Paleontologia deslocaram-se ao local – em dias sucessivos de grande trabalho, colocaram à vista cerca de 40 novas pegadas, algumas formando pistas. E consideraram esta amostra significativa, porque, entre outras razões, estavam encontrados os grandes predadores naturais dos sauropodes gigantescos que deixaram as suas marcas na pedreira do Galinha.

Em Março de 2015 voltámos à icnojazida e… as surpresas voltaram a surgir. Uma descrição mais pormenorizada da jazida e da vasta amostra descoberta foram apresentadas no X Congresso Cientistas em Ação, promovido pelo Centro de Ciência Viva de Estremoz, por um colega do Grupo de Paleontologia. Este projeto valeu-lhe um prémio e o 1º lugar.




A história resumida da nova jazida e as principais descobertas encontram-se em: